O republicano Paul Ryan, presidente do Comitê de Orçamento da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, apresentou neste domingo partes de sua proposta para zerar o déficit orçamentário do país em dez anos, o que sugere uma redução de gastos de cerca de US$ 5 trilhões.

O orçamento de Ryan mantém os aumentos de impostos aprovados pelo Congresso em janeiro. Mas, no programa de TV Fox News Sunday, Ryan disse que sua proposta também supõe que a nova lei da saúde da administração Barack Obama será revogada – um cenário pouco provável.

“Isso não vai acontecer”, disse o apresentador do programa, Chris Wallace.

“Bem, acreditamos que deveria”, respondeu Ryan.

Ryan apresentará o projeto de orçamento da Câmara dos Representantes esta semana. Já o Comitê de Orçamento do Senado deve elaborar a alternativa democrata à proposta republicana.

Segundo Ryan, para equilibrar o orçamento em dez anos será necessário, entre outras medidas, reduzir o crescimento do Medicaid (programa de saúde para a população mais carente) e transformá-lo em recursos para os Estados, além de reduzir gastos com o programa de auxílio para compra de alimentos.

Ryan disse que um orçamento equilibrado levará a uma economia saudável, que cresce e cria empregos. “Acho que devemos ao povo americano um orçamento equilibrado”, afirmou.

Na semana passada, Obama convidou Ryan para um almoço na Casa Branca, para discutir a possibilidade de um acordo para a redução da dívida. O republicano classificou o encontro como uma discussão franca, e disse que esta foi a primeira vez que conversou com o presidente por mais de dois minutos. As informações são da Dow Jones.