O governo dos Estados Unidos vai suspender o programa “Dinheiro por sucata”, que incentiva a troca de carros usados por novos, a menos que o Senado norte-americano aprove um financiamento adicional de US$ 2 bilhões para o plano, disse hoje o secretário de Transportes dos EUA, Ray LaHood.

Ele acredita que a quantia atual de US$ 1 bilhão destinada ao programa deve ter se esgotado neste fim de semana. A Câmara de Representantes dos EUA já aprovou na última sexta-feira (dia 31) a concessão de US$ 2 bilhões a mais, e o governo pressiona o Senado dos EUA para que faça o mesmo antes de seu recesso, que começa no fim desta semana.

“Se não obtivermos os US$ 2 bilhões do Senado, teremos de suspender o programa esta semana”, disse LaHood em entrevista. Ele afirmou que o governo dará continuidade ao programa até ver o que o Senado decidirá e acredita que os senadores irão aprovar o aumento do financiamento. “Em qualquer venda (de carro) fechada amanhã ou na terça-feira (dia 4) e que já esteja em andamento, a concessionária e o comprador do veículo serão reembolsados”, afirmou.

Pelo menos um senador questionou a necessidade de se acelerar a liberação do dinheiro. “É loucura tentar apressar isso de novo, enquanto eles tentam acelerar também a reforma do sistema de saúde e ao mesmo tempo limitar os impostos sobre eletricidade”, disse o senador republicano Jim DeMint. “Precisamos ir com calma nisso aí.”

O ex-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) Alan Greenspan disse que a atividade do setor automotivo norte-americano começou a recuperar-se mesmo antes do lançamento do programa, mas afirmou que “não há dúvidas de que a resposta bastante extraordinária (dos consumidores ao plano) é um indicador muito importante de que a confiança na economia está começando a melhorar”. “Se o programa tivesse sido colocado em prática há seis meses”, disse ele, “provavelmente teria sido um fracasso”.

O valor de US$ 1 bilhão injetado pelo governo Obama no plano, que oferece descontos de até US$ 4,5 mil na troca de um carro usado por um novo, levou a vendas de 250 mil veículos em pouco mais de uma semana. As informações são da Associated Press.