Os estoques das empresas dos Estados Unidos recuaram 1,5% em agosto na comparação com julho, para um volume sazonalmente ajustado de US$ 1,311 trilhão, informou hoje o Departamento de Comércio do país. Segundo analistas, a previsão era de queda de 1,2%, em média. Os estoques em julho recuaram 1,1%, dado revisado em relação à diminuição de 1,0% anunciada originalmente. A última vez em que houve aumento de estoques foi em agosto de 2008.

As vendas das empresas aumentaram 1,0% em agosto ante julho, para US$ 989,6 bilhões. Em julho, haviam aumentado 0,3%, dado revisado em relação à alta de 0,1% anunciada antes. Na comparação com agosto do ano passado, as vendas foram 15,1% menores em agosto deste ano. A relação entre estoques e vendas recuou de 1,36 em julho para 1,33 em agosto. Essa medida indica o tempo que uma empresa média levaria, em meses, vender seus estoques atuais. Em agosto do ano passado, esse índice era de 1,30.

Os estoques de veículos automotores despencaram 7,9% em agosto, um reflexo do sucesso do programa “Dinheiro por sucata”, implementado pelo governo norte-americano entre o final de julho e meados de agosto para estimular a demanda por carros novos. Essa foi a maior queda desde a de 8,8% registrada em outubro de 2001. Excluindo automóveis, os estoques de varejistas recuaram 0,3% em agosto. As informações são da Dow Jones.