O programa de estímulos esperado pelos mercados durante a presidência de Donald Trump nos Estados Unidos ser um poderoso estímulo à economia do Japão, gerando uma forte recuperação no ano que vem que pode inclusive permitir ao Banco do Japão (BoJ) elevar juros, afirmou hoje Etsuro Honda, um conselheiro próximo do primeiro-ministro japonês Shinzo Abe.

Este efeito positivo viria sob a forma de um dólar mais forte, possivelmente acima do patamar de 120 por iene, afirmou Honda, que é embaixador na Suíça e um dos principais arquitetos do programa de crescimento de Abe, que ganhou o apelido de Abenomics.

Desde a eleição do republicano nos Estados Unidos, no início de novembro, a moeda japonesa se enfraqueceu de 105 por dólar para os atuais 114 por dólar.

As promessas de campanha de Trump, incluindo as de elevação dos gastos do governo e cortes de impostos, podem ser “bastante efetivas” para estimular a demanda dos EUA, disse o japonês. Isto poderia levar o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) a acelerar a alta de juros.

“Uma combinação de políticas keynesianas agressivas e aumento da taxa de juros iria inevitavelmente fortalecer o dólar”, disse Honda.

Um iene sustentavelmente mais fraco poderia ajudar os exportadores japoneses, o que poderia ajudar o país a sair da deflação, um ciclo negativo de quedas de preços que se arrasta desde a década de 1990. Isso aconteceria porque as empresas poderiam investir mais agressivamente e elevar os salários, disse. Fonte: Dow Jones Newswires.