Começa a funcionar a partir de 16 de novembro deste ano o PIX, um sistema de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central que funcionará 24 horas por dia, sete dias por semana e em todos os dias no ano.

Ou seja, o PIX será uma opção ao DOC e TED, protocolos de transferência de dinheiro com horários e prazos para serem realizados e que só funcionam de segunda a sexta-feira.

Como funciona o PIX?

Para pessoa física as transferências não terão custo, já para as instituições terá um custo de um centavo a cada dez transações. Segundo o Banco Central as transações poderão ser feitas entre bancos diferentes e serão gratuitas ao usuário. A partir de 5 de outubro, os interessados poderão fazer o cadastro para a identificação dos pagamentos. Alguns bancos, entretanto, se anteciparam e já permitem esse cadastramento como o Nubank, Itaú, Banco do Brasil, Bradesco, entre outros. Não haverá limites de transações, mas instituições poderão criar regras como forma de prevenir fraudes.

>> VEJA TAMBÉM: Auxílio Emergencial é liberado para 3,9 milhões de pessoas. Veja quem recebe!

Preparamos algumas perguntas e respostas que podem te ajudar a tirar todas as dúvidas sobre o PIX do Banco Central:

Como fazer meu cadastro cadastrar no PIX?

Segundo o Banco Central o cadastro pode ser feito a partir de 5 de outubro, no aplicativo da instituição que tem conta e então registrar a chave de endereço, que deve ser vinculada a um telefone celular, e-mail, CPF ou CNPJ.

O que é a Chave PIX?

É como você será identificado no sistema, como um “apelido”, que permite que a pessoa física ou as empresas façam pagamentos e transferências sem necessidade de informar todos os dados de sua conta. Ao contrário do DOC e TED, que exigem dados como banco, conta, agência, CPF/CNPJ, com o PIX as transferências poderão ser feitas com apenas um dado, como o celular, CPF/CNPJ ou e-mail.

>> LEIA MAIS: Coca-cola abre vagas de emprego temporário; Veja como se candidatar

Transferir dinheiro pelo PIX é seguro?

Sim, o PIX tem as mesmas medidas de segurança que as transferências DOC e TED. Além disso, o Banco Central garante que todos os dados são protegidos pelo sigilo bancário, estabelecido em lei, bem como a Lei de Proteção de Dados.

Dá para fazer pagamentos através do PIX?

Sim. O PIX será uma alternativa de pagamento no mercado, o que permite pagamento de contas de luz, água, energia, taxas de impostos, serviços públicos, além de permitir transferência de dinheiro entre pessoas e empresas, fazer compras presenciais/online.

Quais os benefícios do PIX?

Para usar esta forma de transferência será preciso ter uma conta em banco, instituição de pagamento ou fintech (startups que trabalham pra inovar sistemas financeiros).

Além de aumentar a velocidade em que pagamentos ou transferências são feitos e recebidos, o PIX tem potencial de alavancar a competitividade e a eficiência do mercado; baixar o custo, aumentar a segurança e aprimorar a experiência dos clientes.

Caixas eletrônicos e QR CODE

As transferências meio meio do PIX poderão ser feitas pelo caixa eletrônico tradicional ou pela câmera do celular, pelo QR code. O consumidor poderá escanear o QR code, pelo aplicativo do banco ou da fintech, e realizar o pagamento ou transferência. As transações serão feitas por meio de QR code estático ou dinâmico.

Estático

*Uso em múltiplas transações
*Permite definir um valor fixo para um produto ou inserção de um valor pelo pagador
*Ideal para pequenos varejistas, prestadores de serviço e pessoas físicas

Dinâmico

*Uso exclusivo a cada transação
*Além do valor, permite a inserção de outras informações, como identificação do recebedor
*Gerado por um sistema, para diversas transações
*Facilita conciliação e automação comercial