O preço da energia ofertada no 18º Leilão de Ajuste realizado nesta quinta-feira pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) já ultrapassou o patamar de R$ 360/MWh para contratos de três e seis meses, conforme era esperado por especialistas ouvidos pelo Broadcast, serviço em tempo real da agência Estado O patamar é válido para as regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Nordeste. No caso da energia da região Norte, os preços para contratos de três meses está em R$ 345,47/MWh. Para contratos de seis meses o valor está neste momento em R$ 312,08/MWh.

O Broadcast noticiou ao longo da semana que o preço da energia vendida no leilão de hoje ficaria em um patamar entre R$ 360/MWh e R$ 380/MWh. Os valores mais altos, mais próximos a R$ 380/MWh, devem envolver contratos de fornecimento entre janeiro e março. Os contratos de seis meses, de janeiro a junho, tendem a alcançar um preço levemente mais baixo, mas ainda no mesmo intervalo.

Os atuais valores propostos confirmam a expectativa de que os geradores aceitariam ofertar energia no leilão somente se os preços se aproximassem do limite de R$ 388,48/MWh (para as regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Nordeste) estabelecido pela Aneel. O valor é idêntico ao teto imposto pela Aneel ao preço de liquidação das diferenças (PLD), o qual baliza o preço da energia no mercado de curto prazo. As geradoras que não comercializaram energia no leilão de hoje podem negociar o excedente em operações no mercado de curto prazo.