As encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos cresceram 0,3% em julho, para o valor sazonalmente ajustado de US$ 193,02 bilhões, segundo o Departamento de Comércio do país. O aumento foi menor que a previsão dos economistas, de 2,8%. O dado de junho foi revisado para mostrar queda de 0,1%, em vez do declínio do 1,2% informado anteriormente.

As encomendas de equipamentos de transporte aumentaram 13,1% em julho, impulsionada principalmente pela alta de 75,9% das encomendas de aeronaves e peças não ligadas a defesa. As encomendas de veículos automotivos e peças subiram 5,3%. Fora do setor de transportes, as encomendas para todos os outros bens duráveis recuaram 3,8% em julho, a maior queda desde janeiro de 2009.

As encomendas de bens de capital não ligados a defesa, um indicador dos investimentos das empresas, recuaram 8%, no maior declínio desde janeiro do ano passado. No acumulado do ano, as encomendas dos bens duráveis cresceram 15,6%, em termos não ajustados, na comparação com o mesmo período do ano passado. As encomendas não atendidas dos produtores manufatureiros, um sinal de demanda futura para o setor industrial, recuaram 0,1% em julho.

Os embarques de bens duráveis dos produtores manufatureiros aumentaram 2,2% em julho, enquanto os estoques cresceram 0,6%. As encomendas de bens de capital caíram 2,7% em julho. As encomendas de bens de capital não ligados a defesa, previstos para durarem dez anos ou mais, recuaram 2,8%. As encomendas de bens de capital ligados a defesa diminuíram 2,2% em julho. Excluindo defesa, todos os outros bens duráveis tiveram crescimento de 0,3% em julho. As informações são da Dow Jones.