A Montana Agriculture, empresa paranaense pioneira na fabricação de equipamento para o cultivo de Algodão Adensado, apresenta na maior vitrine do agronegócio da Bahia, a Bahia Farm Show 2012, que acontece de 29 de maio a 2 de junho na cidade de Luiz Eduardo Magalhães, a colhedora de Algodão, a Cotton Blue Stripper Adensado, além de toda a  linha de produtos Montana.

A Colhedora de algodão modelo Stripper, que conquistou o prêmio de Inovação Gerdau em 2011, por melhor projeto agrícola, é a primeira colhedora de Algodão Adensado do Brasil. Devido ao sistema de 3.900 rotações por minuto, a máquina tem uma redução de custo de combustível de 25%, em relação ao modelo tradicional. É um equipamento com unidade de colheita de 6 metros, e pelo sistema de pentes, traz mais agilidade para a colheita fazendo em média 25 hectares por dia.

O diferencial do produto também é o sistema HL, unidade de limpeza que faz a separação entre plumas e detritos, e através de um duto de ar gerado por cinco ventiladores centrífugos que leva o algodão até o cesto, mantendo a qualidade sem danificar o produto e também tem a maior capacidade de vento da categoria.

De acordo com o gerente de Marketing e Relações Internacionais da Montana, Giancarlo Fasolin, a colhedora de algodão foi desenvolvida exclusivamente para atender as necessidades do produtor rural, garantindo o máximo de rentabilidade para o cultivo de algodão. “É a única maquina projetada 100% para as características do algodão adensado brasileiro”, garante.

Os equipamentos Montana oferecem soluções que o homem do campo precisa para o dia a dia, buscando sempre facilidade operacional e manutenção acessível, tanto para o médio, como para o grande porte, sem abrir mão de tecnologia de ponta.

Todo produtor sabe que a colheita representa um item importante nos custos de produção do algodoeiro. Fasolin acredita que a Bahia Farm Show é a oportunidade para o agricultor conhecer um produto novo no mercado, pois as exportações de algodão estão crescendo e consequentemente os produtores vão precisar garantir uma maior qualidade na produção. “A Montana vai mostrar para o cotonicultor a Cotton Blue Stripper, que traz a melhor solução para a colheita do algodão adensado”, afirma.

Segundo dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), as barreiras impostas pela Índia às exportações de algodão do país devem favorecer o Brasil no cenário internacional. A previsão é de que as remessas brasileiras da fibra para outros países devem ser maiores do que as indianas, fator que coloca o Brasil na posição de 2º  maior exportador de algodão do mundo em 2013.

Com este cenário os cotonicultores brasileiros vão precisar aderir as altas tecnologias, para o Brasil ficar cada vez mais competitivo no setor e conquistar esta posição no mercado exterior.