O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, relatou que, em reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, 15 das principais empreiteiras do Brasil se queixaram hoje das paralisações de obras públicas causadas por intervenção do Tribunal de Contas da União (TCU) e regras ambientais.

Segundo Nascimento, os empresários ficaram de apresentar uma proposta de mudanças nas regras de licitação, para aumentar o andamento das obras. “Precisamos fazer alguma coisa para melhorar o ritmo das nossas obras”, disse Nascimento, ao deixar a reunião com o presidente, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), sede provisória da Presidência, em Brasília.

Na reunião também foi discutido o projeto do trem-bala que ligará São Paulo a Campinas e Rio de Janeiro. Segundo Nascimento, na próxima semana será feita uma reunião com empreiteiras na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio, para esclarecer dúvidas das empresas em relação ao projeto.

O governo quer garantir a participação de empresas brasileiras na parte da construção civil da obra. “Do valor total do projeto, 70% – ou sejam, cerca de R$ 24 bilhões – serão gastos em obras civis. As empresas brasileiras precisam participar”, afirmou o ministro.