O emprego no Paraná fechou fevereiro com bons números. Conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o número de vagas formais de trabalho no Estado aumentou 0,62% em relação ao estoque de empregos de janeiro. Assim, os paranaenses passaram a ter, no mês passado, mais 13.710 postos de trabalho.

No ano, a quantidade de novos postos (admissões menos demissões) já aumentou 1,25%, ou 27.621 vagas. O desempenho é o melhor de toda a série do Caged para o primeiro bimestre. Já nos últimos 12 meses, o crescimento, em relação aos 12 meses imediatamente anteriores, é de 4,34%, ou 92.619 novos postos de trabalho.

De acordo com o Caged, o setor de serviços foi o que mais contribuiu para o saldo positivo de fevereiro, no Paraná. A atividade criou 7.511 novas vagas no mês. A indústria de transformação veio em seguida, com 4.493 postos. Em terceiro lugar, ficou a construção civil, que gerou 1.733 vagas.

O setor, no entanto, foi o que teve maior crescimento relativo, de 1,36%, contra 0,97% dos serviços. Por outro lado, a agropecuária foi o setor com a maior queda: em fevereiro, a atividade fechou 861 postos, encolhendo 0,81% em relação a janeiro.

No relatório de divulgação do Caged, o MTE destacou que a Região Metropolitana de Curitiba teve, em fevereiro, o melhor desempenho para o mês já registrado pela pesquisa. No período, o estoque de empregos formais cresceu 0,6%, que equivalem a 5.429 novos postos de trabalho.

Considerando-se apenas os municípios, Curitiba ficou com o maior saldo do Estado no mês passado: foram 3.639 vagas, que aumentaram em 0,58% o estoque total de empregos na cidade.

Municípios

Londrina teve o segundo melhor número (1.855 postos), mas variação maior que a obtida na capital (1,41%). Entre os municípios com mais de 30 mil habitantes, o pior saldo ficou com Lapa, que perdeu 235 vagas, reduzindo seu estoque em 3,17%.

Brasil

Os setores de serviços, da indústria de transformação e da construção civil foram os principais responsáveis pelo saldo positivo de 209.425 novas vagas em fevereiro, no País.

As contratações somaram 1.526.321 e as demissões, 1.316.896. Também é o melhor resultado para meses de fevereiro da série histórica do Caged, iniciada em 1992.

Segundo o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, um dos fatores que contribuíram para o saldo foi a recuperação da economia. Ele destacou as indústrias automobilística e têxtil, bem como os ramo da hotelaria e de restaurantes, que cresceram por causa do carnaval.

O setor de serviços contratou, no mês passado, 85.607 trabalhadores. Já a indústria contratou, em fevereiro, 63.024 pessoas. Na construção civil, o saldo foi de 34.735 novos postos. Lupi disse que o programa Minha Casa, Minha Vida tem exercido impactos positivos no setor.

Para este mês, Lupi espera que as contratações superem a marca de 207 mil novos empregos registrada em março de 2008. Para o ano, a meta de 2 milhões de empregos está mantida.