Emissores corporativos da Europa, especialmente bancos, encontraram uma janela de oportunidade e estão aproveitando para acessar os mercados de bônus nos últimos dias. Só hoje, quatro instituições financeiras estão definindo os termos de suas emissões.

O espanhol Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA) definiu a orientação final de preço para sua emissão de 2 bilhões de euros em um bônus sênior sem garantira de 18 meses. Segundo um dos bancos que participa da operação, a orientação ficou em 193 pontos-base sobre os midswaps (referência para juros em euro), abaixo da estimativa inicial de 200 pontos-base. O BBVA tem rating Aa3 da Moody’s e A+ da Standard & Poor’s e também da Fitch.

Outro espanhol que está acessando os mercados é o Banco Espanhol de Credito (Banesto), que deve precificar sua emissão de 500 milhões de euros em um bônus coberto de quatro anos a 235 pontos-base sobre os midswaps. Essa orientação de preço foi revisada, da estimativa anterior de 245 a 250 pontos-base. O título deve receber rating triplo A da Moody’s.

O banco francês Crédit Agricole estabeleceu sua orientação de preços para a emissão de um bônus de sete anos na área de 215 pontos-base sobre os midswaps. O próprio banco coordena sozinho a emissão, que deve ser precificada ainda hoje.

A seguradora alemã Allianz estabeleceu a orientação de preço para sua emissão de um bônus de 10 anos sênior sem garantia na faixa entre 125 e 130 pontos-base sobre os midswaps. O volume a ser vendido ainda não foi divulgado. A companhia tem rating Aa3 da Moody’s e AA da S&P.

Já o suíço UBS está planejando realizar uma série de encontros com investidores na Europa e na Ásia antes da possível venda de um bônus subordinado. Esse roadshow começa amanhã e deve ser finalizado no dia 13.

Fora do setor bancário, a Telefónica Emisiones S.A.U., subsidiária do grupo de telecomunicações espanhol Telefónica, definiu a orientação final de preço para a emissão de 1,5 bilhão de euros em um bônus de seis anos. Segundo um dos bancos que participa da transação, a orientação de preços ficou em 300 pontos-base sobre os midswaps. A emissora tem rating Baa1 da Moody’s e BBB+ da Standard & Poor’s e também da Fitch.

Outra empresa de telecomunicação que está aproveitando a janela de oportunidade é a TeliaSonera. A companhia sueca estabeleceu a orientação de preço para sua emissão de 750 milhões de euros em um bônus de 12 anos a 118 pontos-base sobre os midswaps. Os ratings da companhia são A3 da Moody’s e A- da S&P e da Fitch. As informações são da Dow Jones.