A economia da França ganhou força recentemente, mais ainda é improvável que registre crescimento no ano cheio, afirmou o presidente do Banco Central francês, Christian Noyer. Devido ao início de ano fraco, no entanto, quando o PIB recuou 0,2% no primeiro trimestre, o crescimento para o ano cheio “ainda ficará perto de zero”, acrescentou.

Noyer, que também é membro do conselho do Banco Central Europeu (BCE), reiterou também que a recente mudança da autoridade monetária, que na semana passada forneceu uma diretriz para as taxas de juros, não representou qualquer alteração de estratégia, mas continua ligada ao mandato central do banco.

Ele afirmou que os EUA e Europa continuam em dois ciclos econômicos diferentes e que a diretriz do BCE foi destinada a destacar que um aumento nas taxas de juros dos EUA não deveria desencadear uma alta similar na Europa. Fonte: Dow Jones Newswires.