A taxa de câmbio abriu o pregão viva-voz na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) em baixa de 0,29%, com o dólar à vista negociado a R$ 1,87. O mercado doméstico de câmbio define a Ptax (taxa de referência) que será usada para honrar o vencimento dos contratos futuros de agosto, na quarta-feira. E o jogo pela formação de uma taxa favorável esquentou na segunda-feira, levando o volume transacionado nos futuros da BM&F a segunda maior marca do ano.

É comum, no último dia útil do mês e definição da Ptax, os investidores abandonarem os fundamentos econômicos para se concentrarem nos seus interesses em torno do vencimento na hora de definir as cotações do dólar. Mas é habitual também que se usem os fatos do dia para embasar e fazer prevalecer esses interesses. A volatilidade tende a marcar o ambiente de negócios.

Acontecimentos de destaque que possam enriquecer a briga pela Ptax é o que não falta nesta terça-feira. No exterior, os mercados prosseguem no caminho da recuperação, apoiados nos resultados corporativos favoráveis. Mas ainda é esperada oscilação acentuada nos preços dos ativos, como vem ocorrendo nos últimos pregões.