De acordo com os pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o clima seco e frio estava favorável à cultura do trigo. No entanto, as chuvas da semana passada, associadas à alta umidade relativa do ar, entre 90% e 100%, e a temperatura acima de 20ºC favorecem o aparecimento de doenças fúngicas, principalmente a giberela, a brusone, a ferrugem da folha e as manchas foliares.

“Essas condições climáticas, que atingem as lavouras do Norte, Oeste e Noroeste do Paraná, propiciam a inoculação dos fungos causadores de doenças no trigo”, explica o pesquisador Sérgio Dotto, da Embrapa Soja. Dotto diz que para evitar a brusone e a giberela, por exemplo, doenças que ocorrem na espiga do trigo, é aconselhável que o produtor faça uma aplicação preventiva de fungicida, entre as fases (estádios) de espigamento e a floração da lavoura. “Quando os sintomas dessas doenças aparecem (no enchimento de grãos) não é mais viável controlar o problema, por isso é preciso fazer a prevenção”, explica o pesquisador.

No caso da ferrugem da folha e das manchas foliares, o pesquisador aconselha o produtor fazer o monitoramento semanal da lavoura para avaliar a incidência dessas doenças, que têm como sintomas pústulas, no caso de ferrugem, e manchas marrons com bordas amarelas, na mancha foliar.

Os pesquisadores da Embrapa Soja orientam os produtores a buscar mais informações sobre o assunto junto à assistência técnica.