Brasília – A dívida pública brasileira chegou a R$ 1,150 trilhão, em dezembro, o que representa 42,8% do Produto Interno Bruto (PIB), a soma das riquezas produzidas no país. O resultado de dezembro é superior ao do mês anterior (R$ 1,127 trilhão, ou 42,4% do PIB) . Os dados constam na nota de Política Fiscal, divulgada nesta quarta-feira (30), pelo Banco Central.

Entretanto esse foi o melhor resultado para meses de dezembro desde 1998, quando essa relação foi de 38,9%. Em 1999, a relação estava em 44,5% e subiu nos anos seguintes até chegar a 52,4 %, em 2003 e começou a cair no ano seguinte, chegando a 2006 em 44,7%.

"Esse resultado mostra que a dinâmica da dívida é de desaceleração", disse o chefe do Departamento econômico do Banco Central, Altamir Lopes.

A dívida pública brasileira é a soma dos débitos dos governos federal, estaduais e municipais. Esse valor, chamado de dívida líquida do setor público, desconta o que os governos têm a receber de empresas privadas ou de outros governos. Quanto menor a relação entre dívida e PIB, maior é a confiança dos investidores brasileiros e estrangeiros de que o país vai honrar seus compromissos.

Os juros pagos por União, estados, municípios e estatais (setor público consolidado) chegaram a R$ 12,238 bilhões, no mês passado, contra R$ 12,992 bilhões registrado em dezembro de 2006. No ano, o pagamento de juros chegou R$ 159,532 bilhões, contra R$ 160, 027 bilhões registrados em 2006.

Em dezembro de 2007, o país registrou déficit primário (necessidade de financiamento) de R$ 11,780 bilhões, ou seja, deixou de economizar. Esse resultado foi quase o dobro do registrado em dezembro do ano anterior (R$ 6,453 bilhões).

No entanto, foi possível acumular no ano superávit (saldo positivo) primário (Tesouro, Previdência, Banco Central, governos estaduais e municipais e empresas estatais) de R$ 101,606 bilhões (3,8% do PIB), contra R$ 90,144 bilhões registrados em 2006. O resultado do ano passado superou a meta do governo para 2007, que era de R$ 95,9 bilhões.

No mês passado, o setor público apresentou déficit nominal (receita menos despesas, incluídos gastos com juros) de R$ 24,018 bilhões, contra R$ 19,445 bilhões do mesmo período de 2006.

Nos 12 meses do ano, as despesas maiores do que as receitas geraram déficit nominal de R$ 57,926 bilhões, resultado menor do que o registrado no mesmo período de 2006 (R$ 69,883 bilhões). O resultado de 2007 representou 2,27% do PIB.