A dívida líquida do setor público fechou o mês de maio em 44,7% do PIB, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (27) pelo Departamento Econômico do Banco Central (Depec). O porcentual correspondia a R$ 1,096 trilhão. Em abril, a dívida líquida estava em 44,2% do PIB, o que equivalia a R$ 1,079 trilhão.

No ano, a dívida líquida acumulou uma queda de dois pontos porcentuais em relação aos 44,9% do PIB do final de 2006. "O resultado primário contribuiu para essa redução com 2,2 pontos porcentuais do PIB. O efeito do crescimento do PIB valorizado com um ponto porcentual", afirmou nota do BC.

Em contrapartida, os juros nominais apropriados pela dívida contribuíram com uma alta de 2,8 pontos porcentuais para o aumento da divida.

A apreciação do câmbio, de 9,8% acumulada no ano, também ajudou a aumentar a dívida em 0,5 ponto porcentual. O ajuste de paridade da cesta de moedas que compõem a dívida externa líquida contribuiu com mais 0,4 ponto porcentual para a elevação da dívida.

A dívida bruta do governo geral (governo federal, INSS e governos estaduais e municipais) fechou maio em R$ 1,629 trilhão. O valor correspondia a 66,4% do PIB. Em abril, a dívida bruta estava em R$ 1,602 trilhão, o que equivalia a 65,7% do PIB.