O valor cobrado da Vale pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) referente a dívidas de royalties da mineração é de R$ 4 bilhões, como vinha sendo noticiado, e não R$ 5 bilhões, como informou ontem à noite o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Segundo a assessoria de imprensa do ministro, houve um “equívoco”.

Devido à discrepância de valores – a mineradora alega que a dívida é de R$ 2 bilhões -, o valor será definido na próxima semana, depois de uma reunião que será realizada entre a diretoria jurídica e financeira da empresa e o Ministério. Conforme Lobão declarou ontem, o Ministério de Minas e Energia (MME) e a Vale vão refazer as contas e a companhia quitará o débito.