O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Cledorvino Belini, afirmou hoje que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse aos empresários que as discussões para uma política de desenvolvimento do carro elétrico no Brasil vão continuar.

Hoje, cinco minutos antes do anúncio da nova política, Mantega desistiu de dar entrevista coletiva. O auditório do ministério estava lotado de empresários do setor automotivo e de representantes do próprio governo. A explicação oficial é que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu para conhecer melhor a proposta antes da divulgação.

Para Belini, o adiamento de uma ou duas semanas não vai atrapalhar o projeto no Brasil. Por isso, segundo ele, o setor mantém a expectativa alta em relação ao programa. “Continuaremos estudando para formular uma política de 10 ou 20 anos”, afirmou. Belini disse ainda que entende “perfeitamente” a decisão do governo de que o tema precisa ser aprofundado.