Embora muitos analistas afirmem que as empresas norte-americanas que exploram o xisto são o principal alvo da decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de manter a produção no nível atual, analistas do BNP Paribas afirmam que os alvos podem ser outros países, como o Brasil.

Segundo o BNP, o potencial de larga escala da exploração de xisto nos EUA – com baixos custos de capital e curto prazo para iniciar produção – torna a atividade no país um alvo improvável para a Opep. Os analistas acreditam que o cartel está agindo para criar um ambiente de baixo preço do petróleo que leve ao cancelamento ou adiamento de investimentos em países Brasil, Canadá, Nigéria, México e Rússia. Fonte: Dow Jones Newswires.