Os gastos com mão de obra na construção civil desaceleraram no âmbito do Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) de janeiro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). O índice que representa o custo da mão de obra registrou variação positiva de 0,32% no mês, após alta de 0,46% no mês anterior. Já a parte relativa a materiais, equipamentos e serviços teve aumento de 0,38% em janeiro, ante uma taxa de 0,37% em dezembro.

O Índice Nacional de Custo da Construção – 10 (INCC-10) subiu 0,35% no IGP-10 de janeiro, ante alta de 0,42% no mês anterior. Neste mês, ficaram mais caros ajudante especializado (0,32%), tubos e conexões de PVC (2,00%), servente (0,31%), vale transporte (2,19%) e engenheiro (0,52%). Na direção oposta, houve redução nos preços de massa de concreto (-0,11%), cimento portland comum (-0,02%), rodapé de madeira (-0,22%), mármore e granito trabalhados (-0,10%) e taco/tábua corrida para assoalho (-0,17%).