Mercado promissor e salários bons são o que os interessados em se tornar pilotos de avião irão encontrar no mercado de trabalho. A economia estável, a criação de novas rotas e eventos de alcance mundial, como a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016, garantem ao candidato a possibilidade de achar um emprego interessante e estável.

Recentemente, no município de Rolândia, norte do Estado, surgiu o primeiro curso de pilotos a distância no Brasil. Homologado pela Agência Nacional de Aviação Aérea (Anac), após um minucioso processo, a Aerocurso.com vem chamando a atenção de pessoas de todo o país pela novidade.

“O estudante assiste às aulas por meio de vídeo-aulas em nosso site (www.aerocurso.com). Eles serão acompanhados por tutores, responsáveis por no máximo 30 alunos. São quatro módulos com uma avaliação final em cada um deles, sendo a última presencial”, explica o gerente de suporte tecnológico e vice-diretor da escola, Victor Hugo da Silva Garcia.

Se o candidato obtiver 70% de aprovação do curso, está apto a fazer a banca da Anac. “Se ele for aprovado na banca, estará apto a fazer curso de Piloto Privado de Avião (PPA), que é o primeiro passo desta carreira. O nosso foco é apenas o curso teórico. Nossa ideia é o de democratizar o acesso a essa profissão”, avalia Victor Hugo.

Garcia conta que o profissional desta área tem uma gama interessante de opções. “Ele pode pilotar para pulverizar lavouras, táxi aéreo, trabalhar para executivos e ainda aviação comercial e internacional. Todos eles remuneram bem, principalmente os dois últimos, onde o salário é, em média, de R$ 20 mil”, garante.

Outra opção encontrada no Paraná é o de Curso Superior de Tecnologia em Pilotagem Profissional de Aeronaves da Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), pioneira no Estado.

“O curso tem quatro semestres de teoria. Após concluir essa etapa, o estudante deve procurar escolas que oferecem aulas práticas. Depois deste processo é que ele estará apto a colar grau e ser um piloto profissional”, explica o coordenador do curso, Marcus Galvão de Souza.

Ele afirma que as perspectivas para quem se forma no curso são excelentes e que o perfil de quem o procura é de jovens do sexo masculino. “Muitas empresas grandes incentivam aos seus profissionais que eles tenham curso superior, isto é, é uma chance a mais para garantir uma vaga. O curso ainda é dominado pelos homens, mas já está ficando comum encontrar mulheres interessadas em ser pilotos”, informa.

Mais informações nos sites www.aerocurso.com e www.utp.br.