A intenção de consumo das famílias subiu 0,9% em fevereiro contra janeiro, e subiu 3,1% frente a fevereiro do ano passado. É o que mostrou a Pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Mas em janeiro, a instituição apontou elevação mais intensa na comparação contra mês anterior, de 1,8% no consumo contra dezembro do ano passado. No entanto, contra janeiro de 2011, o consumo subiu somente 0,3% no primeiro mês do ano.

O aumento do salário mínimo, um cenário inflacionário mais benigno e medidas do governo de incentivo ao consumo levaram à permanência de saldo positivo nos resultados. A CNC chamou atenção para o fato de que as famílias ainda mantêm elevada confiança quanto ao emprego. Isso, em um ambiente onde o governo já adotou medidas de incentivo ao consumo, pode ter influenciado o resultado positivo de fevereiro.

Por faixas de renda, o levantamento mostrou que a confiança se manteve em patamar elevado tanto entre os mais ricos quanto entre os mais pobres. Para a entidade, as famílias estão mais otimistas quanto ao consumo futuro do que no ano passado. Embora a perspectiva de consumo em fevereiro deste ano tenha caído 3,7% contra janeiro, ainda se encontra 2,9% acima de igual mês do ano passado. A pesquisa ouviu em torno de 18 mil consumidores no País.