As operações de crédito do sistema financeiro tiveram em setembro uma expansão de 1,8%, na comparação com agosto, informou hoje o Banco Central (BC). Com o resultado, o total de empréstimos concedidos pelos bancos somou R$ 1,611 trilhão no fim do mês passado. Nos 12 meses encerrados em setembro, a carteira de crédito acumula expansão de 19,6%.

Entre as operações que mais cresceram no mês passado, os financiamentos para habitação tiveram aumento de 3,8%, para R$ 125,210 bilhões. Em 12 meses, essa carteira apresenta crescimento de 51,4%. O crédito direcionado ao comércio teve evolução de 2,1%, enquanto o crédito para a indústria avançou 2%. Ambos os segmentos apresentaram avanço acima da média do mercado (1,8%). Já as operações para pessoa física cresceram 1,3% e atingiram R$ 518,300 bilhões.

O BC informou ainda que a participação do crédito no Produto Interno Bruto (PIB) atingiu 46,7% em setembro, ante os 46,2% registrados em agosto de 2010 e os 43,9% observados em setembro do ano passado.

Juros

A taxa média de juros praticada no crédito livre caiu pelo segundo mês seguido em setembro. Os dados divulgados hoje pelo BC mostram que o juro médio dessas operações caiu de 35,2% ao ano em agosto para 35,1% ao ano no mês passado. A redução ocorreu exclusivamente no financiamento para pessoas físicas, cuja taxa média recuou de 39,9% para 39,4% ao ano. Em sentido contrário, o juro para as empresas subiu de 28,9% para 29% ao ano.

A alteração no patamar de juros é explicada pela mudança no spread bancário – diferença entre a taxa de captação dos bancos e o que é efetivamente cobrado dos clientes. Na média, o spread geral caiu de 24,3 pontos porcentuais para 24,1 pontos porcentuais entre agosto e setembro. A redução ocorreu apenas nas operações para pessoas físicas, cuja margem recuou de 28,6 pontos porcentuais para 28 pontos porcentuais. Já o spread nos empréstimos para pessoas jurídicas subiu de 18,3 pontos porcentuais para 18,4 pontos porcentuais.