Para justificar a queda mais rápida dos juros, o Banco Central (BC) considera que há elevada probabilidade de concretização de um cenário em que a taxa Selic se desloca para patamares “ligeiramente” acima dos mínimos históricos. Segundo a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), nesse patamar a taxa Selic iria se estabilizando. Cabe lembrar que a taxa Selic mínima histórica foi de 8,75% e vigorou de julho de 2009 a março de 2010.

“Considerando os valores projetados para a inflação e o balanço de riscos associado, o Copom atribui elevada probabilidade à concretização de um cenário que contempla a taxa Selic se deslocando para patamares ligeiramente acima dos mínimos históricos, e nesses patamares se estabilizando”, diz o documento. Essa avaliação do Copom é uma novidade da ata, que acaba de ser divulgada pelo BC.

Na ata, o Copom reforça a avaliação de que o aumento na oferta de poupança externa e a redução no seu custo de captação têm contribuído para a queda das taxas de juros domésticas, inclusive da taxa neutra. Para o Copom, esses são desenvolvimentos de caráter permanente.

Na reunião, o Copom reduziu de 10,50% para 9,75% a taxa Selic. Mas a decisão não foi por unanimidade. Dois diretores do BC votaram pela redução da Selic em 0,5 ponto porcentual. A maioria – cinco diretores – votaram pela queda 0,75 ponto porcentual.