SECS

Ravedutti: retomando índices históricos.

Os indicadores de eficiência operacional, bom atendimento aos consumidores, qualidade de gestão e comprometimento social da Copel vêm melhorando de forma expressiva e consistente, conforme revelam os resultados finais do Prêmio Abradee 2005, divulgados recentemente pela Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica. Do décimo lugar em 2003 e da nona posição no ano de 2004, a Copel chegou em 2005 como a sexta melhor empresa de distribuição do País entre as 51 concessionárias vinculadas à Abradee.

?Isso reflete o esforço que estamos empreendendo com o apoio do governador Roberto Requião para reconstruir a Copel, empresa que até ser destroçada durante a malograda tentativa de privatização, sempre foi padrão de excelência para o setor?, diz o diretor de distribuição da empresa, Ronald Ravedutti. ?Estamos retomando os nossos índices históricos de desempenho, praticando as menores tarifas do País entre empresas de porte semelhante, com o propósito de oferecer ao público o melhor serviço pelo menor preço.?

Tarifa menor

Para comparar, o diretor afirma que as tarifas residenciais da Copel chegam a ser até 30% menores que as cobradas por outras grandes empresas do País. ?Nosso cliente paga menos e tem à disposição serviços com indicadores de confiabilidade e qualidade que estão entre os melhores do Brasil, e ainda com um bom desconto no valor da conta em troca da pontualidade na quitação?, completa.

Os investimentos totais feitos pela Copel desde o início do atual governo, entre janeiro de 2003 e junho de 2005, somam R$ 972,6 milhões. Mais da metade desse valor (R$ 511 milhões) foi destinado a recuperar, recompor e modernizar os sistemas elétricos de distribuição e as estruturas de atendimento ao público.

Em seminário promovido pela Abradee, as empresas finalistas ao posto de a mais bem avaliada pelo consumidor em 2005 Copel, Elektro (São Paulo), Celesc, RGE, CEEE e AES Sul (essas três, do Rio Grande do Sul) apresentaram as práticas e os procedimentos que adotam visando a satisfação do consumidor. A impressão predominante entre os mais de cem participantes do evento foi de equivalência entre as concessionárias, cujas ações se assemelham bastante e se equivalem. ?Vi que a Copel não fica devendo nada às suas concorrentes?, observou Ronald Ravedutti.

Para Ravedutti, os dados indicam que a retomada dos trabalhos de manutenção periódica e preventiva da rede de energia elétrica reduziu o número de desligamentos, e a duração deles foi abreviada com a recomposição das estruturas de atendimento. ?Medidas como a contratação de novos eletricistas, renovação da frota de veículos, reabertura de agências e reforço das centrais de atendimento telefônico, essenciais e inadiáveis, foram tomadas em benefício do consumidor?, finalizou.