O governador Roberto Requião e o vice-governador e secretário da Agricultura, Orlando Pessuti, assinaram ontem, em Umuarama, dois convênios de incentivos à produção agrícola, em parceria com o Banco do Brasil, que vão destinar R$ 550 milhões em financiamentos para os programas “Paraná Pecuária” e “Arenito Nova Fronteira”.

“Aqui temos um exemplo do Paraná real, que produz, gera riquezas e andou esquecido nos últimos anos”, declarou o governador que, após a assinatura do convênio, conheceu a Unidade de Pesquisa e Difusão do Iapar, localizada no Campus da Universidade de Umuarama (UEM), onde são realizadas pesquisas de inovação genética com algumas plantas como aveia, trigo e girassol.

Específicos para o Paraná, os dois programas oferecerão financiamentos que podem chegar até R$ 60 mil por produtor, com taxas de juros fixas de 8,75 % . Com a criação destes dois programas, o governo espera gerar cerca de 19 mil postos de trabalho – 12 mil com o Programa Arenito Nova Fronteira e sete mil com o Paraná Pecuária.

O vice-presidente de Agronegócio e Governo do Banco do Brasil, Ricardo Conceição, disse que dentro de dois anos os investimentos para a Região Noroeste do Estado, atendida pelo programa Arenito Caiuá, poderão chegar a R$ 1 bilhão. “Se conseguimos avançar é porque temos uma parceria muito boa com o governo do Paraná, onde as lideranças se uniram e caminham na mesma direção”, declarou Conceição.

As linhas de créditos que serão disponibilizadas para os programas são o BNDES Investimentos, através do Propasto, Prosolo, Profruta e Prodecap; o Finame através do Moderfrota e Proleite e o Pronaf.