A Rússia e a Ucrânia não conseguiram superar, nesta quarta-feira, o impasse para solucionar a atual disputa em torno do gás natural fornecido por Moscou a Kiev e fizeram acusações mútuas pela falta de progresso nas negociações.

A última rodada de conversas, em Bruxelas, chegou ao fim sem uma solução, com ambos os lados fazendo suas exigências sobre os preços futuros do gás e dívidas.

A Ucrânia manteve a posição de que a oferta russa de reduzir o preço do gás em US$ 100, para US$ 385 por 1.000 metros cúbicos, é “política” e “inaceitável”, enquanto Moscou reiterou que fez a melhor proposta possível.

Além disso, o ministro de Energia russo, Alexander Novak, afirmou que Kiev precisa pagar mais de US$ 2,5 bilhões em dívidas pendentes até o próximo dia 16 como parte de qualquer acordo para resolver o impasse atual.

A dívida de Kiev com Moscou deu um salto em abril, após a Rússia ter anexado a região ucraniana da Crimeia. Diante das tensões entre os dois países, a estatal Gazprom cancelou descontos anteriores e elevou o preço do gás, de US$ 268,50 para US$ 485,50 por 1.000 metros cúbicos. Fonte: Dow Jones Newswires.