O consumo de energia elétrica no mercado atendido pela Copel totalizou 9,19 milhões de MWh (megawatts-hora) no primeiro semestre deste ano, registrando crescimento de 3,9% sobre os 8,85 milhões de MWh consumidos no mesmo período de 2004. O setor que apresentou a maior elevação proporcional na demanda foi o comercial, com 8%. A classe rural teve elevação de 6,3%, a residencial 4,4% e o segmento industrial 1,6%.

?Esses números apontam para uma retomada dos índices históricos de crescimento do consumo estadual de eletricidade num futuro bem próximo?, avalia o presidente da Copel, Rubens Ghilardi. ?O mercado paranaense mostra estar em franca atividade, impulsionado por uma série de iniciativas e programas do governador Roberto Requião que fomentam a atividade industrial, a expansão do comércio e, como conseqüência, gerando empregos que melhoram a renda e a qualidade de vida da população?, diz.

Segundo Ghilardi, uma das principais razões do crescimento do consumo de energia é a política traçada pelo governo do Estado para o setor, transformando-o em insumo para a dinamização da economia, geração de renda e extensão de benefícios à sociedade. ?Ao praticar as menores tarifas elétricas do País e ainda beneficiar com descontos quem paga em dia a sua conta de luz, a Copel oferece aos paranaenses mais condição de acesso às facilidades e ao conforto da eletricidade e, assim, é natural que o consumo aumente?, comenta.

Remanejamento

O crescimento de 3,9% observado pela Copel considera a variação medida no mercado cativo da distribuidora e entre os consumidores livres atendidos pela sua subsidiária de geração em território paranaense. A distinção é necessária porque as novas regras do setor elétrico nacional vetam às concessionárias de distribuição o atendimento direto a consumidores livres. Assim, as indústrias que optaram por continuar recebendo energia diretamente da Copel tiveram de ser remanejadas para a subsidiária de geração, motivo da redução de 5,2% verificada na energia comercializada pela unidade de distribuição.

No cômputo geral, porém, o desempenho do setor industrial no semestre foi positivo, com incremento de 1,6% no uso da energia elétrica. As variações mais expressivas ocorreram nos segmentos de produtos têxteis com 8,2%, artigos de borracha e plástico com 5,5% e fabricação de móveis com 4,5%.

A subsidiária de distribuição da Copel atende diretamente a 51.110 indústrias em todo o Paraná, cabendo à de geração o suprimento a 21 grandes indústrias enquadradas como consumidores livres. No total, a Copel fornece energia elétrica e atendimento a 3.222.813 unidades consumidoras na sua área de concessão: esse total é formado por 2.532.626 residências, 269.911 estabelecimentos comerciais e 327.973 propriedades ou domicílios rurais, além de 41.172 outras ligações (sistemas de iluminação pública e de serviços públicos, edificações públicas e instalações operacionais da própria Copel).