O Consórcio Goiás Transmissão, a Cobra Instalaciones y Servicios, o Consórcio Nordeste e o Consórcio Alupar Bimetal venceram os primeiros lotes do Leilão de Linhas de Transmissão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), realizado hoje na Bolsa do Rio. O Consórcio Goiás, composto por J. Malucelli Construtora (31%), Furnas Centrais Elétricas (49%) e Engevix (20%), levou o primeiro lote com deságio de 32,44%, ante uma receita anual máxima permitida pela reguladora de R$ 49,959 milhões.

O Lote A corresponde a 259 quilômetros referentes a três trechos de linhas de transmissão em Goiás e a Subestação Trindade, que eliminará sobrecargas das subestações Bandeirantes e Anhanguera, para garantir o suprimento de energia à região. A obra deverá estar concluída em dois anos e vai gerar 1,9 mil empregos.

Já o segundo lote foi arrematado pela Cobra, com um deságio de 26,19% sobre a receita anual máxima permitida pela reguladora, de R$ 28,34 milhões. O lote B corresponde a uma linha de transmissão de 162 quilômetros ligando Pirapora e Montes Claros (MG), e mais duas subestações também em Minas Gerais. Elas vão reforçar o fornecimento de energia elétrica do Estado, atendendo ao crescimento de carga previsto para os consumidores industriais da região. A obra está prevista para ser concluída em dois anos e deverá gerar 1,1 mil empregos.

Nordeste

O Consórcio Nordeste, formado por Chesf (49%) e ATP Engenharia (51%), arrematou o terceiro lote, com um deságio de 30,99% ante a receita máxima anual permitida pela reguladora, de R$ 29,688 milhões. O lote C corresponde a uma linha de transmissão de 230 quilômetros em São Luís (MA), e mais duas subestações de energia no Ceará.

De acordo com a Aneel, a subestação Pecém II possibilitará o escoamento da capacidade de geração que se instalará no Complexo Industrial e Portuário do Porto do Pecém e permitirá a conexão para as indústrias de base, como os empreendimentos de siderurgia e a refinaria Premium programada pela Petrobras para o Estado.

Já a subestação Aquiraz II possibilitará o suprimento à região leste da cidade de Fortaleza (CE), no qual ocorre um processo de desenvolvimento econômico, em especial no setor turístico, além de ser uma área de expansão urbana da região metropolitana de Fortaleza. As obras devem estar concluídas em 22 meses e são previstos 1,3 mil empregos durante a construção.

Já o quarto lote foi arrematado pelo Consórcio Alupar Bimetal, com um deságio de 12,03% sobre a receita anual máxima permitida pelo órgão regulador, de R$ 9,576 milhões. O consórcio é formado pela Alupar Investimentos AS (60%) e pela Bimetal Indústria Metalúrgica (40%). O Lote D prevê a construção de duas linhas de transmissão num total de 235 quilômetros no Mato Grosso, que possibilitarão a expansão do sistema para escoamento da energia excedente gerada no Estado, além de reforçar o atendimento à região metropolitana de Cuiabá (MT). A previsão é de que a obra esteja concluída em 20 meses, e gere 400 empregos.