O volume de negócios gerado pelo sistema de consórcios no Brasil de janeiro a abril de 2011 aumentou 40% ante igual período do ano anterior, para R$ 25 bilhões, segundo informações divulgadas hoje pela Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac). Na mesma base de comparação, as vendas de novas cotas de consórcios cresceram 28,2%, atingindo 834,4 mil unidades. O desempenho considera os segmentos de veículos automotores em geral (pesados, leves, motos), imóveis, eletroeletrônicos e serviços.

No intervalo, o número de participantes ativos subiu 11,6%, passando de 3,86 milhões em abril de 2010 para 4,31 milhões, enquanto as contemplações aumentaram 10,7%, passando de 318,6 mil para 352,6 mil no comparativo entre mesmos quadrimestres.

Pesquisa recente da Quorum Brasil, realizada a pedido da Abac, aponta que para 53% dos entrevistados, consórcio significa investimento a longo prazo, facilidade em adquirir um bem, poupança a longo prazo e financiamento sem juros.

A pesquisa, que envolveu mais de 700 entrevistados e cujas questões foram aplicadas em 49,4% de consorciados contemplados e 50,6% de não contemplados, mostrou um crescimento de 158,3% da classe C no setor de automóveis e de 153,6% no de motocicletas, entre 2006 e 2010.

Outro resultado importante foi a maior participação das mulheres nas decisões de compra de cotas, especialmente nos eletroeletrônicos (105%), caminhões (92,9%) e imóveis (70,8%). Também aumentou o número de jovens (20 a 29 anos) nos consórcios de automóveis (120%) e imóveis (50%).

Imóveis

Segundo a pesquisa da Abac, as vendas de novas cotas de consórcio de imóveis aumentaram 13,8% no acumulado dos primeiros quatro meses de 2011, em relação a igual período do ano passado, somando 79 mil unidades.

No mês de abril, o valor médio das cotas para a compra de um imóvel aumentou 3,6%, para R$ 96,9 mil, ante R$ 93,5 mil um ano antes. No período, o segmento registrava 595 mil participantes, indicando aumento de 8% em relação a abril de 2010. No quadrimestre, o número de pessoas contempladas nesse segmento cresceu 11,2%, para 25,9 mil pessoas.

Entre março do ano passado e abril deste ano, 3.937 participantes utilizaram o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para amortizar ou quitar parcelas, somando R$ 68 milhões.