Conforme previsão, Paraná deve seguir líder na produção de grãos

O Estado do Paraná mantém a liderança na produção nacional de grãos na safra 2007/08, devendo colher um volume total de 28,44 milhões de toneladas. A previsão é do primeiro prognóstico unificado entre a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a safra agrícola de 2008, divulgado nesta quinta-feira (08).

A metodologia de harmonização do prognóstico da produção agrícola entre os dois órgãos iniciou este mês, mas será intensificada nos meses seguintes. Nos relatórios divulgados nesta quinta-feira, o IBGE prevê um volume total de produção no País de 137,08 milhões de toneladas de grãos e a Conab prevê a colheita de 135,53 milhões de toneladas de grãos.

A Conab divulgou o detalhamento da participação dos Estados, enquanto o IBGE centrou suas estimativas nas regiões Sudeste, Sul, Centro-Oeste e nos Estados de Rondônia, Maranhão, Piauí e Bahia, que mantém safra de verão.

Nos resultados por Estados, divulgados pela Conab, o Paraná aparece em primeiro lugar no ranking da produção nacional de grãos, seguido dos Estados do Mato Grosso, que deve colher um total de 24,23 milhões de toneladas e do Rio Grande do Sul, que deverá colher 24,18 milhões de toneladas de grãos.

As culturas de destaque na produção agrícola paranaense são o feijão, milho, soja no verão e trigo no inverno. A previsão da Conab para as três safras de feijão plantadas no Paraná aponta para uma colheita de 707 mil toneladas, que corresponde a uma queda de 11,1% em relação ao ano agrícola que está sendo encerrado, quando foram colhidas 795,3 milhões de toneladas no Estado.

A área plantada de feijão deve cair 16,1%, passando de 563,3 mil hectares plantados no Estado na safra 06/07 para um total de 472,8 mil hectares na safra 07/08. Na avaliação da Conab, entre os principais motivos da redução da área plantada está a escassez de chuvas, seguidas de estiagens prolongadas e as baixas temperaturas verificadas entre o final de agosto e o mês de setembro.

A Conab está prevendo para o Paraná uma produção de 8,63 milhões de toneladas de milho na primeira safra, que deve representar uma queda de 1,9% em relação à safra passada quando foram colhidas 8,80 milhões de toneladas do grão. A redução na produção poderá ser influenciada pelo efeito ?La Niña?, caracterizado pelo maior período de estiagem durante o desenvolvimento da lavoura.

Mesmo assim, de acordo com o relatório da Conab, o Paraná se mantém líder isolado na produção do grão. O segundo Estado que mais deve produzir o milho na safra 07/08 será o estado de Minas Gerais, que deve colher um total de 6,23 milhões de toneladas.

Estão sendo plantados um total de 1,37 milhão de hectares, um avanço de 4,3% sobre o mesmo período do ano passado, quando foram plantados 1,31 milhão de hectares. Os produtores estão animados com os bons preços do milho impulsionados pelo crescimento da avicultura e suinocultura e também pelas exportações do cereal.

Na segunda safra de milho, cujo plantio inicia-se em março de 2008, a Conab prevê ligeira queda na área plantada e na produção. A área plantada deve cair 2%, passando de 1,45 mil hectares na safra 06/07 para 1,42 mil hectares na safra 07/08. O relatório da Conab prevê atraso no plantio por causa do atraso das chuvas. A produção também deve cair 2%, passando de 5,04 milhões de toneladas para 4,94 milhões de toneladas no mesmo período.

Na totalidade, o Paraná deverá colher 13,58 milhões de toneladas de milho, que corresponde ao dobro do volume que deverá ser colhido por Minas Gerais, segundo estado produtor.

A produção de soja também deverá apresentar ligeira queda em função do clima, prevê o prognóstico. A colheita deverá atingir 11,75 milhões de toneladas, uma queda de 1,3% em relação à safra 06/07, quando foram colhidas 11,91 milhões de toneladas. O Paraná se destaca como segundo produtor de soja no País, superado pelo estado do Mato Grosso, que deverá colher 16,38 milhões de toneladas, volume 6,7% maior em relação à safra 06/07.

A área plantada com soja é ligeiramente inferior à 06/07, devendo atingir um total de 3,93 milhões de hectares. Os produtores estão animados com a expectativa do aumento da demanda nos mercados interno e externo.

Voltar ao topo