As turbulências criadas pela crise financeira mundial não causam mais receio aos consumidores paulistanos, que projetam uma recuperação em larga escala da economia brasileira nos próximos meses. É o que indica o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) de outubro, divulgado hoje pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). O indicador, que apresenta trajetória de alta desde abril, registrou neste mês 154,3 pontos, o maior nível da série histórica iniciada em 1994. O resultado indica crescimento de 5,6% ante setembro (146,1 pontos) e de 11% em relação a outubro de 2008 (138,9 pontos), período de agravamento da recessão mundial.

O balanço da Fecomercio-SP trabalha com uma escala de 0 a 200 pontos, indicando pessimismo abaixo de 100 pontos e otimismo acima desse nível. Os especialistas da entidade relacionam o desempenho histórico do indicador ao aquecimento nas vendas do comércio varejista, que em agosto registraram crescimento de 3,3% ante o mesmo mês do ano passado, segundo a Fecomercio-SP.

“É nítido o aumento na confiança do consumidor. Para ele, o termo ‘crise’ faz parte do passado”, explica o economista responsável pelo ICC, Thiago Freitas. Em sua avaliação, a combinação do aumento do rendimento real com a ocupação e a preservação da renda das famílias tem aquecido a expectativa dos consumidores e puxado o desempenho do indicador. O ICC é apurado mensalmente pela Fecomercio-SP desde 1994. São ouvidos 2.100 consumidores no município de São Paulo.