O comprometimento de renda dos brasileiros com o pagamento de dívidas bancárias subiu em fevereiro na comparação com janeiro, de acordo com dados do Banco Central (BC). As prestações correspondiam em fevereiro a 21,70% da renda mensal dos trabalhadores, ante 21,62% em janeiro (dado revisado). Houve queda, no entanto, em relação a fevereiro de 2012, quando o comprometimento estava em 22,36% da renda.

O BC também calcula o nível de endividamento do brasileiro, que considera o valor total dos débitos dividido pela renda anual. Nesse caso, houve alta de 43,57% em janeiro para 43,75% em fevereiro. No mesmo período de 2012, o índice estava em 42,20%. Os recordes da série histórica do BC são 22,98% para o comprometimento (janeiro de 2012) e 43,78% para endividamento (agosto de 2012). Se forem retirados da conta os financiamentos habitacionais, o comprometimento da renda mensal cai para 20,09% em fevereiro de 2013, ante 20,08% em janeiro. Já o endividamento, com base na renda anual, fica em 30,51% em fevereiro, próximo do verificado no mês anterior (30,49%).