Os excelentes resultados obtidos pelo agronegócio no interior do Estado aliado às eleições que ocorrem em todos os municípios, são fatores que estão impulsionando o comércio varejista do Paraná. Resultados obtidos pela Pesquisa Conjuntural do Comércio, realizada pela Federação do Comércio do Paraná, relativos ao mês de junho, apontam para uma recuperação acentuada no interior e mais leve na capital e região metropolitana.

“O levantamento indica expansão da produção e vendas da indústria, continuidade do crescimento das exportações, redução gradativa do desemprego e melhoria do poder aquisitivo da população”, diz o presidente da Fecomércio/PR, Darci Piana, ao analisar os percentuais.

Em Londrina, dentre os fatores que podem ser destacados como indutores da continuidade desse bom desempenho pode-se mencionar o reflexo positivo e multiplicador do agronegócio, a dinamicidade de alguns ramos específicos do varejo como, por exemplo “concessionários de veículos” e “autopeças e acessórios” que além dos caminhões, camionetas e utilitários, também trabalham com máquinas de plantio, tratores e colheitadeiras, importantes para o segmento agrícola.

Foi mantido pelo comércio varejista de Maringá, o perfil positivo de desempenho que já se verificava nos meses anteriores, fato que pode ser associado, principalmente, à vitalidade e importância do complexo agro-industrial no contexto econômico da cidade e região.

Identifica-se também a disposição do consumidor em assumir compromissos financeiros para o futuro, em função de financiamentos associados às vendas de produtos de alto valor agregado, que pode ser visto, no mínimo, como um demonstrativo de confiança em relação ao futuro. Um desempenho como este, na medida em que perdure nos demais meses do ano, possui todas as características para funcionar como elemento indutor na geração de reflexos positivos sobre outros segmentos da economia.

Comparações

O comércio varejista na Região Metropolitana de Curitiba no mês de junho de 2004 apresentou crescimento, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, de 9,75%. Em Maringá a situação se repete: junho vendeu 17,77% mais que o mesmo mês do ano passado. E, em Londrina, os resultados são ainda melhores: 17,78% a mais.

O nível de emprego que toma como base de comparação o mesmo mês do ano anterior na RM de Curitiba, apresentou decréscimo em junho de 2004 comparado a junho de 2003: -6,09%. Enquanto isso, a folha de pagamentos para o mesmo período se contraiu em -11,74%. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, ou seja, junho de 2004 em relação a junho de 2003, o emprego no comércio de Maringá cresceu 2,36%. A folha de pagamentos para o mesmo período também aponta crescimento: 2,65%.

Londrina

A comparação entre nível de emprego em Londrina em junho de 2004 em relação ao mesmo mês do ano anterior, junho de 2003, é negativa em -0,93%. Enquanto isso, a folha de pagamentos de junho de 2004 comparada a junho de 2003 aponta crescimento de 0,58%.