Como decorrência das perdas de 16% da soja por causa da estiagem nos primeiros meses desse ano e da redução do plantio do milho safrinha, a produção total de grãos em 2003/04 é estimada em 26.3999.619 de toneladas. Foi registrada uma redução de 13% em relação ao recorde de 30.345.660 toneladas colhidas em 2002/03.

A primeira safra de grãos de verão está em fase final de colheita. Segundo levantamento do Deral – Departamento de Economia Rural da Secretaria da Agricultura, 97,5% da produção já foi colhida e está estimada em 18.202.053 toneladas. Já para a segunda safra de verão, em início de colheita (6,7%), são esperadas 4.396.896 de toneladas, com redução de 31,9% sobre 2003.

No caso dos cereais de inverno, apesar do crescimento da área (6,9%), a expectativa de produção é de 3.800.670 de toneladas, com crescimento de 0,14% em relação à excepcional safra do ano passado.

Clima

Após o período de longa estiagem de janeiro a abril, que provocou perdas consideráveis, especialmente nas lavouras de soja, o excesso de chuvas, granizo e as primeiras geadas do ano dificultaram os trabalhos de colheita de café, cana, mandioca, feijão e soja, e de implantação das lavouras de inverno – aveia, trigo e cevada -, provocando ainda perdas localizadas no milho safrinha e feijão.

O economista Norberto Ortigara, responsável pela previsão de safras e custos de produção da Seab, acredita que 64,4% de toda a safra de grãos já tenha sido colhida e que pelo menos 39,3% já tenha sido comercializada pelos produtores.

Receita – Apesar da redução da produção, a receita bruta da venda dos 35 principais produtos, estimada em R$ 16,4 bilhões, tem um crescimento de 3,4%. Segundo Norberto, tal desempenho decorre, especialmente do crescimento da receita obtida com a venda de soja (+ 8,5%), de algodão (+ 29,3%), de mandioca (+ 24,6%), de fumo (+ 32,7%), entre outros.