Os preços do metal operam em queda nesta terça-feira, pressionados por uma alta repentina dos estoques da London Metal Exchange (LME).

Na bolsa londrina, o contrato para três meses caía 0,66%, a US$ 5.816,50 por tonelada perto das 9h32 (de Brasília), em meio a uma alta de 33% dos estoques, segundo informações do Commerzbank. Esta é a maior alta em dois dias nos últimos 20 anos. Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para maio cedia 0,41%, a US$ 2,6415 por libra-peso, às 10h02.

Parte dos analistas se preocupa com a notícia, que chega em meio a questionamentos sobre o crescimento da china nos próximos anos. A notícia de que o governo rebaixou a previsão para o crescimento de 2017 na comparação com o ano anterior também alimenta o sentimento negativo, de acordo com analistas do ANZ.

Além disso, a perspectiva de uma alta de juros nos EUA também prejudica a commodity, uma vez que esta tende a valorizar o dólar, tornando os contratos da commodity mais caros para investidores que utilizam outra moeda.

Tudo somado, o sentimento supera as preocupações sobre oferta causados por interrupções em minas no Chile e na Indonésia, que ajudaram os contratos a se valorizar 25% nos últimos seis meses.

Os demais metais básicos também caíam na LME. O alumínio caía 0,40%, a US$ 1.869,50 a tonelada; o zinco tombava 1,26%, a US$ 2.709,50 a tonelada; o chumbo recuava 0,94%, a US$ 2.222,50 a tonelada; o estanho baixava 0,28%, a US$ 19.350,00 a tonelada; e o níquel tinha queda a US$ 10.980 a tonelada. Fonte: Dow Jones Newswires.