O Índice de Utilização da Capacidade Instalada (UCI), calculado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), encerrou fevereiro na marca de 47 pontos, o que é considerado um resultado ruim. O índice varia de zero a 100 e, quando há valores abaixo de 50 pontos, isso significa que o UCI foi inferior ao padrão para aquele mês. Em janeiro, o UCI também foi baixo, de 45,2 pontos. Já o índice de produção, que é o principal indicador do nível de atividade, atingiu 51 pontos em fevereiro, ante 46 pontos em janeiro.

A CNI destaca que este é o terceiro mês consecutivo em que a indústria brasileira opera abaixo do usual. Em dezembro, o UCI foi de 48,2 pontos, caindo para 45,2 pontos em janeiro e alcançando 47 pontos no mês passado.

Segundo o economista Marcelo Azevedo, da CNI, a UCI ficou abaixo do que normalmente se observa nos meses de fevereiro por conta de dois fatores: recuo na demanda e concorrência das importações. “As medidas de restrição ao crédito tomadas pelo Banco Central no final do ano passado e o aumento da taxa de juros, bem como o anúncio do corte de gastos do governo, já se refletiram na demanda”, assinalou o economista.

Em relação ao índice de produção de 51 pontos verificado em fevereiro de 2010, ante os 46 pontos de janeiro, a CNI não trata essa leve recuperação com otimismo. Segundo o economista da confederação, “o indicador continua próximo da linha divisória de 50 pontos”.

A pesquisa indica ainda que a utilização da capacidade instalada foi de 72% em fevereiro. A evolução do nível de estoques permaneceu estável, com um índice de 50,3 pontos em fevereiro, ante 50,4 pontos em janeiro. O índice de evolução do número de empregados foi positivo, atingindo 50,7 pontos, acima dos 49 pontos de janeiro.

O levantamento destaca que, apesar do cenário atual, os empresários estão otimistas em relação ao desempenho da economia para os próximos seis meses. O índice de expectativas sobre a demanda atingiu 62 pontos em março, ante 61,3 pontos em fevereiro. Já o índice de expectativas quanto à compra de matérias-primas alcançou 59,1 pontos em março, ante 58,8 pontos em fevereiro. A Sondagem Industrial da CNI de fevereiro foi realizada entre os dias 28 de fevereiro e 15 de março, com 1.379 empresas, das quais 770 são de pequeno porte, 409 de médio porte e 200 de grande porte.