O presidente do Fórum Permanente da Pecuária de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Antenor Nogueira, cobrou regras claras da União Européia (UE) em relação à rastreabilidade bovina da carne brasileira. "Cada vez mais a União Européia impõe restrições para não ter a carne brasileira. Com isso, a oferta lá cai e quem vai pagar o preço será o consumidor europeu", disse Nogueira.

O executivo, que participou de reunião desta quarta-feira (30) com o governo e a cadeia produtiva e exportadora de carne bovina, considerou a cota de 300 propriedades selecionadas pela União Européia como "um embargo branco", ou "mesma coisa que nada", disse.