A estiagem ocorrida entre março e maio deste ano foi a principal causa apontada para uma queda de 18% na previsão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a colheita paranaense de grãos em 2009.

Enquanto, no início do ano, o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do órgão previa uma produção de 31,6 milhões de toneladas, os números divulgados ontem baixaram para 26 milhões de toneladas. E os números podem até piorar no mês que vem, já que o levantamento ainda não considera as perdas provocadas pelas geadas da última semana.

A redução, que já levou o Paraná, há dois meses, a perder a posição de maior produtor nacional de grãos para o Mato Grosso, influenciou a queda na previsão da produção brasileira: na safra 2008/2009, o País deve produzir 135 milhões de toneladas 7,5% a menos que na anterior, quando a produção foi de 146 milhões de toneladas.

Os números da Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), órgão vinculado ao Ministério da Agricultura, informados simultaneamente aos do IBGE, apontam uma previsão semelhante para o Estado: 25,23 milhões de toneladas de grãos, 17,3% a menos que na última safra, quando foram colhidas 30,51 milhões de toneladas.

A previsão nacional aponta uma redução para 134,2 milhões de toneladas, ou 6,9% em relação à safra passada, na qual a produção ficou em 144,1 milhões de toneladas.

No Paraná, as estimativas de queda do IBGE foram mais influenciadas pela redução na produção do milho queda de 22,7%, de 15,6 milhões de toneladas, no ano passado, para 12 milhões, este ano e do feijão queda de 3,1%, em 2009, para 747,5 mil toneladas.

Técnicos da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento estimam que a produção da segunda safra de milho será ainda mais prejudicada com a geada. Nas lavouras de inverno, há boa expectativa em relação ao trigo, para o qual está projetada uma safra de 3,14 milhões de toneladas, 2,5% maior que no ano passado.

Já na produção de soja, o IBGE projeta uma redução de 19,4% no volume de produção, caindo de 11,8 milhões de toneladas na safra 2007/2008 para 9,57 milhões de toneladas na safra 2008/2009.

Nacional

A previsão anunciada ontem pela Conab representa um recuo de 1,78% na comparação com a apresentada em maio, quando a projeção era de uma colheita de 136,5 milhões de toneladas.

De acordo com o órgão, a estiagem na região Sul e o excesso de chuvas no Nordeste são os grandes responsáveis pela queda da produção de grãos no País. Já a área cultivada cresceu de 47,4 milhões de hectares para 47,6 milhões de hectares.

Na projeção do IBGE que também é inferior à estimativa anterior, que apontava uma safra de 136 milhões de toneladas a redução foi provocada por recuos nas variações de estimativa em maio, na comparação com abril, do algodão em caroço (-5,8%), aveia em grão (+11,1%), cana-de-açúcar (+2,8%), cevada em grão (-9,1%), feijão em grão total (-4,8%), milho em grão total (-0,7%), soja em grão (-0,7%), trigo em grão (+0,1%) e triticale em grão (-4,9%).