O orçamento do Ministério da Ciência e Tecnologia, que este ano foi de R$ 2,1 bilhões, deve ter um acréscimo de R$ 500 milhões em 2005. O anúncio foi feito ontem, em Curitiba, pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos. Ele esteve na capital para participar do Fórum Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos da Ciência e Tecnologia.

Embora os recursos disponíveis sejam considerados insuficientes pela comunidade científica, Eduardo revelou que eles estão sendo ampliados a cada ano, pois o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem priorizado o assunto. "Vamos tentar dividir melhor entre os estados os recursos que estão saindo do governo federal, diferenciando a capacidade de contrapartida de cada estado", declarou.

Segundo o presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Sérgio Rezende, que também participou do fórum, do total do orçamento do Ministério da Tecnologia R$ 1,3 bilhão foi investido no financiamento de pesquisas realizadas em todos os estados. R$ 650 milhões foram investidos através do Finep e os outros R$ 650 milhões através do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ).

"Só este ano, pelo Finep, existem 450 novos projetos de pesquisa aprovados ou em fase final de aprovação em todo Brasil. Alguns são financiados apenas pelo governo federal. Outros são realizados através de parcerias com fundações estaduais", afirmou. "Através de eventos como esse, podem surgir novas parcerias para financiamento e pesquisa no Paraná".

Durante sua visita, o ministro Eduardo também valorizou a aprovação, na última semana, do Projeto de Inovação Tecnológica, através do qual serão realizadas parcerias entre instituições públicas e privadas na área de pesquisa. "O projeto prevê a ampliação do espaço das empresas privadas para financiamento e educação. Essas parcerias são de grande importância", declarou.