Fu Ying, porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do governo chinês, se recusou hoje a revelar os gastos militares do país previstos para este ano, rompendo com uma longa tradição de anunciar os dados em uma coletiva de imprensa antes do início do ano legislativo.

O orçamento da Defesa é parte do Orçamento anual regular. Por isso, deverá ser revelado pelo Ministério das Finanças durante o Congresso Nacional do Povo, que começa amanhã. Mas nos últimos anos o orçamento da Defesa tem sido anunciado com um dia de antecedência.

A porta-voz Fu, contudo, salientou as intenções pacíficas da China. “Nós firmemente aderimos a uma postura militar defensiva”, disse ela, acrescentando que os gastos militares da China “não ameaçam nenhum país”.

No ano passado, o orçamento militar oficial da China aumentou 11,2%, para 670,2 bilhões de yuans (US$ 107 bilhões). No entanto, especialistas militares acreditam que o orçamento real possa ser até 50% maior do que o número oficial, já que este não inclui os gastos com o arsenal nuclear da China, entre outros. As informações são da Dow Jones.