As exportações e importações da China melhoraram em setembro e ultrapassaram as expectativas, à medida que a demanda global se recupera e o programa de estímulo do governo reforça a demanda doméstica. As exportações da China totalizaram US$ 115,94 bilhões em setembro e as importações, US$ 103,91 bilhões, resultando num superávit comercial de US$ 12,93 bilhões, abaixo da expectativa média do mercado, de US$ 15,8 bilhões.

No mês passado, as exportações chinesas caíram 15,2% em relação a setembro de 2008, bem menos do que o declínio de 23,4% registrado em agosto, de acordo com dados divulgados pela alfândega. O número também foi menor do que o recuo de 21% da média das previsões. Em bases ajustadas sazonalmente, as exportações aumentaram 6,3% em relação a agosto, acima da expansão de 3,4% observada um mês antes.

Já as importações diminuíram 3,5% em setembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, uma contração bem menor do que os 17% de queda em agosto, e que os 15% da média de previsões. Em bases ajustadas sazonalmente, as importações aumentaram 8,3% de agosto para setembro, após crescimento mensal de 1% em agosto. No acumulado de janeiro a setembro, as exportações chinesas ficaram 21,3% abaixo do total do mesmo período do ano passado. As importações caíram 20,4% na mesma comparação. O superávit comercial dos primeiros nove meses do ano alcançou US$ 135,48 bilhões.

Segundo os economistas, a recuperação da balança comercial chinesa está em andamento, e a tendência deve se fortalecer nos próximos meses, em parte por causa da reduzida base de comparação do final do ano passado. Porém, alguns economistas lembram que setembro deste ano teve quatro dias úteis a mais do que setembro de 2008. No ano passado, o feriado do Dia Nacional começou no final de setembro. As informações são da Dow Jones.