A China ofereceu ajuda econômica a Taiwan neste sábado (20), caso a região necessite de assistência para superar dificuldades provenientes da crise econômica mundial. O anúncio, feito durante o primeiro dia de encontros entre representantes do Partido Comunista da China e do Partido Nacionalista de Taiwan, em Xangai, é mais um sinal de arrefecimento nas tensões entre dois rivais históricos. No começo da semana, os dois lados retomaram o transporte aéreo e marítimo, suspenso por quase 60 anos.

“Se a situação mundial continuar a piorar e Taiwan pedir ajuda para resolver suas dificuldades econômicas, a China gostaria de oferecer assistência”, disse Jia Qinglin, o quarto homem mais poderoso no Partido Comunista da China, segundo informação da agência de notícias Xinhua. Jin não detalhou que tipo de ajuda ou o montante que seria oferecido, mas pediu a Taiwan que facilite, no futuro, os investimentos da China na região. Segundo ele, as medidas de estímulo econômico que estão sendo conduzidas na China também irão oferecer oportunidades de comércio e investimento para empresários taiwaneses.

O fórum de dois dias para discutir cooperação entre as indústrias financeira e de serviços e investimentos recíprocos foi iniciado hoje. O presidente do Partido Nacionalista de Taiwan, Wu Poh-Hsiung, e o presidente de honra, Lien Chan, estiveram presentes no primeiro dia dos trabalhos, assim como uma delegação de 400 pessoas, incluindo empresários, peritos e autoridades dos dois países. Segundo uma nota do Partido Nacionalista, Wu pediu que ambos os lados trabalhem juntos para superar as dificuldades da desaceleração econômica. “Poderíamos ajudar os empresários taiwaneses que operam na China a ter acesso aos empréstimos (chineses)”, diz Wu na nota distribuída. “Ambos os lados deveriam também permitir investimentos cruzados em projetos públicos de infra-estrutura”, acrescentou.

As exportações taiwaneses caíram acentuadamente este ano, trazendo dificuldades à economia do país, financeiramente dependente das vendas externas. As exportações atingiram valor mínimo em três anos, de US$16,8 bilhões em novembro, 23% inferior ao mesmo período do ano passado.