O Conselho de Estado da China informou que vai investigar os preços de produtos em 18 províncias e cidades do fim de novembro até o dia 20 de dezembro. Existirão seis equipes de inspeção com representantes de várias agências do governo que vão se focar em investigar a situação por trás dos preços e da oferta de bens de consumo.

No último dia 17, o Conselho de Estado divulgou que vai introduzir uma série de medidas para estabilizar os preços, destacando o empenho do governo de Pequim em combater a inflação, em meio a um aumento nos preços globais das commodities.

As autoridades chinesas têm ficado cada vez mais preocupadas com as pressões inflacionárias. Especuladores, ou seja, produtores e comerciantes que acumulam produtos e manipulam os preços, fizeram com que os valores de alguns produtos agrícolas subissem muito recentemente.

O índice de preços ao consumidor (CPI na sigla em inglês) subiu 4,4% em outubro na China, a maior alta em 25 meses. O aumento foi causado por uma elevação de 10,1% nos preços dos alimentos, que respondem por um terço da cesta de produtos analisada para o cálculo do índice. As informações são da Dow Jones.