O risco de um rombo de financiamento no sistema de pensões da China tem sido seriamente exagerado, afirmou o jornal Diário do Povo, publicação oficial do Partido Comunista, nesta sexta-feira.

O artigo ressaltou um relatório de 2012 feito pelo Bank of China e pelo Deutsche Bank, no qual calcularam um rombo de 18,3 trilhões de yuans (US$ 2,9 trilhões) no sistema de pensões, resultado que subiria para 68,2 trilhões de yuans em 2033 se o sistema não for reformado, ou 38,7% do PIB.

O rombo de financiamento pode aparecer no futuro, disse o Diário do Povo, citando um porta-voz do Ministério dos Recursos Humanos e Previdência Social, mas que poderia ser enfrentado pelo aumento das contribuições individuais ou tirando vantagem das receitas do governo que estão em rápido crescimento para criar reservas estratégicas de recursos.

Reformas previstas incluem o apoio do governo central para aumentar o sistema de pensões. Além disso, o governo pretende realizar a fusão de fundos regionais para que zonas superavitárias possam sustentar aquelas que tem déficit. As informações são da Dow Jones.