A empresa de abastecimento e tratamento de água Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), do Rio de Janeiro, decidiu adiar seus planos de realizar uma Oferta Pública Inicial de Ações (IPO), de acordo com um executivo com conhecimento da operação. “O IPO poderá ser realizado mais para frente neste ano, mas a oferta imediata foi adiada devido às incertezas que afetam alguns setores”, disse o executivo, que não quis ser identificado.

De acordo com um banqueiro de investimentos, a reestruturação em andamento da empresa, bem como a recente intervenção governamental em setores regulados da economia, têm diminuído o apetite do investidor por IPO.

Em outubro, o Cedae se inscreveu na Comissão de Ativos Mobiliários (CVM) para realizar o IPO. A expectativa era de que oferta levantaria cerca de R$ 1,6 bilhão (US$ 800 bilhões).

A decisão da empresa é a segunda desse tipo nos últimos dias. No início da semana, a Vix Logística decidiu adiar seus planos de realizar um IPO devido “a condições desfavoráveis nos mercados de capital local e internacional”.

Apesar das notícias, os analistas ainda preveem que a atividade de IPO se recuperará neste ano devido a uma esperada recuperação econômica no Brasil e o retorno do apetite do investidor internacional.

“É normal que uma companhia, ou outra, adie uma operação. “É ainda um mercado promissor”, afirmou Márcio Guedes, um diretor da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). “Com taxas de juros menores, os investidores são obrigados a procurarem alternativas de investimentos.” As informações são da Dow Jones.