O Cartão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para compras de bens de produção para micro, pequenas e médias empresas, lançado hoje (19), deverá movimentar R$ 300 milhões no primeiro ano, segundo o diretor de novos produtos do banco de fomento, Eduardo Gentil. Este é o valor da linha inicialmente destinada para o cartão de crédito e, na avaliação do executivo, será ?facilmente atingido? no período.

O cartão vai ser oficialmente apresentado para supermercados semana que vem, durante a ExpoAbras, feira anual promovida pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras). A partir de outubro, o produto será expandido também para compras de empresas de menor porte de outros setores, como o industrial (couro e calçados) e serviços (clínicas de saúde).

Segundo Gentil, o produto é inédito no mundo, por ser o primeiro cartão para negócios entre pessoas jurídicas que possui financiamento pré-aprovado. Um dos principais objetivos do produto é aumentar a capacidade do banco em financiar empresas de pequeno porte. A meta é elevar a parcela de financiamentos destinados a micro, pequenas e médias empresa dentro do orçamento total.

O apoio às empresas de menor porte é uma das prioridades do banco. De janeiro a agosto deste ano, este grupo de empresas recebeu financiamentos de R$ 4,6 bilhões, 34% acima do ano anterior e o equivalente a 22% dos desembolsos totais do BNDES, num total de 75,895 mil operações.

O Bradesco será o agente financeiro emissor do Cartão BNDES, cuja bandeira inicial será a Visa. O produto deverá ser usado na compra de bens de produção novos, com limite de crédito pré-aprovado pelo Bradesco no valor de até R$ 50 mil. Trinta dias depois da operação, as empresas fornecedoras receberão o valor das vendas e terão o custo de 3% de taxa de desconto. As empresas compradoras poderão pagar a operação em até 12 pretações, em parcelas fixas, com juros de 2% ao mês.