Foto: Aliocha Maurício

Fila de caminhões chegou a 20 quilômetros, ontem.

Caminhões carregados de grãos voltaram a formar fila na BR-277, em direção ao Porto de Paranaguá. Segundo informações da Ecovia, concessionária que administra o trecho de Curitiba ao litoral paranaense, a fila começou no domingo à noite. Ontem, às 9h, o fim da fila estava no quilômetro 20, mas à tarde já havia reduzido para o quilômetro 16. A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) informou, através da assessoria de imprensa, que a fila se deve aos caminhões que se dirigem ao porto sem a carga estar nominada.

Esta é a terceira vez no ano que a fila em direção ao Porto de Paranaguá ultrapassa os dez quilômetros. Durante o Carnaval, caminhões carregados de grãos ficaram no acostamento da BR-277. Na época, o superintendente da Appa, Eduardo Requião, afirmou que a fila havia sido provocada por ?exportadores, operadores portuários, cooperativas e plantadores de soja?, na tentativa de pressionar o porto a estocar soja transgênica. Segundo Requião, o porto recebeu durante o período de Carnaval cerca de 4 mil caminhões – quantidade 30% a 40% maior do que deveria ter recebido.

Na metade de março, uma nova fila de caminhões voltou a se formar em direção ao Porto de Paranaguá, em parte por conta da chuva – que atrapalhou o carregamento de grãos nos navios. Na ocasião, a Appa divulgou nota afirmando que a fila se devia à atitude de operadores portuários, que continuavam chamando cargas de grãos não-nominadas, isto é, cargas que não estão previamente comercializadas e com um navio atracado para carregar. ?A Appa informa que não abrirá mão da nominação das cargas e que uma nova Ordem de Serviço (OS 54/07) está em vigor desde a última sexta-feira (9 de março), exigindo que o cadastro do caminhão (identificação da carga, nota fiscal, destino) seja preenchido pelo agente marítimo no sistema carga on-line (pela internet) antes mesmo do início de sua viagem ao porto?, informou a nota.

De janeiro a março passaram pelo pátio de triagem do Porto de Paranaguá 67.765 caminhões – volume 38% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado. O pátio de triagem tem capacidade para 1,2 mil caminhões. Em períodos de pico chega a receber entre 1,5 mil e 1,6 mil caminhões por dia.

Sindop

Sobre a fila de caminhões, o presidente do Sindicato dos Operadores Portuários do Paraná (Sindop), Edson Aguiar, afirmou que existe uma programação a ser cumprida. ?Enquanto sindicato não posso achar que os associados estão fazendo algo errado. Não tenho acesso a dados que tornem o associado ou operador portuário culpado disso.? Aguiar criticou ainda a falta de diálogo por parte da superintendência da Appa. ?Enquanto não houver diálogo entre comunidade e autoridade portuária, o resultado será esse. Gostaríamos de conversar, de participar das decisões do porto, nos esforçamos para isso, mas não há conversa?, lamentou.