Foto: Arquivo/O Estado

Quebra no milho derruba previsão deste ano.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) reduziu em 1,71% a estimativa para a safra agrícola de 2006. Na segunda avaliação do ano, divulgada ontem, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas foi estimada em 123,9 milhões de toneladas, enquanto a produção prevista para o ano em janeiro era de 126 milhões de toneladas.

Ainda assim, segundo o IBGE, a safra deste ano deverá ser 10,21% superior a de 2005, que foi de 112,4 milhões de toneladas.

De acordo com o instituto, a perda de cerca de 2 milhões de toneladas em relação a janeiro deve-se às culturas do milho, primeira safra, e da soja, especialmente nos estados da Bahia, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul, prejudicadas pela estiagem nessas regiões.

Nesta segunda edição do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, 15 culturas apresentaram aumento na produção em relação à colheita de 2005. Os destaques são a batata inglesa segunda safra (5,03%), café em grão (19,38%), cana-de-açúcar (5,04%), milho em grão primeira safra (19,58%) e soja em grão (11,65%).

Em baixa aparecem as culturas de algodão herbáceo em caroço (-22,39%), arroz em casca (-14,53%) e amendoim em casca segunda safra (-13,78%).

A área plantada apresentou nesta segunda estimativa uma retração de 1,49% em relação a 2005, ficando em 47 milhões de hectares. A soja, com 22 milhões de área plantada, e o milho primeira safra, com 9,5 milhões de área plantada, são os produtos mais representativos cultivados neste ano.