Um indicador de crédito divulgado hoje reforça as expectativas do mercado de que a atividade econômica irá reagir. De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda das Empresas por Crédito, a quantidade de empresas que procurou por crédito aumentou 0,5% em julho em comparação a junho. No confronto com o mesmo mês do ano passado, a demanda recuou 1,9%. Na comparação de julho com o mesmo mês do ano anterior, esta é a primeira queda anotada pela Serasa Experian desde outubro do ano passado.

Quanto à variação na margem, embora seja de apenas 0,5%, ela se torna relevante porque quebra uma sequência encadeada de três meses de queda na procura de crédito por parte da pessoa jurídica. “O enfraquecimento do ritmo da atividade econômica observado durante o segundo trimestre de 2010 contribuiu, sobremaneira, para os recuos mensais da demanda das empresas por crédito no período de abril a junho deste ano”, afirmam os economistas da instituição. Assim, reiteram eles, a reação registrada em julho da procura das empresas por crédito representa uma sinalização da retomada do crescimento econômico, porém num ritmo mais brando do que o predominado durante os primeiros meses de 2010.

Na análise do resultado de julho, a Serasa detectou que a volta da procura por crédito foi liderada pelas empresas do setor comercial. As consultas feitas por este segmento no mês passado determinaram uma expansão de 1% sobre junho. Já as empresas industriais e de serviços seguiram em direção oposta, recuando, respectivamente, 0,5% e 0,1% as suas demandas por crédito.

No acumulado de janeiro a julho comparado com o acumulado em igual período do ano passado, de acordo com o levantamento feito pela Serasa Experian, as empresas do setor comercial elevaram em 8,8% a procura por crédito. É, portanto, o setor que lidera a procura por crédito. Na sequência, aparecem os segmentos de serviços, com variação de 6,9%. “Por fim, a maior exposição do setor industrial ao cenário externo faz com que este setor apresente um avanço de apenas 4,9% em demanda por crédito no acumulado dos primeiros sete meses de 2010”, afirmam os economistas da Serasa Experian.

Grandes empresas

As empresas de grande porte foram as que mais procuraram crédito em julho comparativamente a junho. Segundo o Indicador Serasa, com aumento de 1,6%, foi este segmento que puxou o crescimento do índice geral, que subiu 0,5% em relação a junho. A procura das médias empresas cresceu 1% e a busca entre as micro e pequenas em empresas cresceu 0,4% na margem.

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, as grandes empresas também aparecem na liderança, com um crescimento de 12,1% sobre o mesmo período do ano passado. As micro e pequenas empresas totalizaram elevação de 8,6% na demanda por crédito na comparação com o período de janeiro a julho do ano passado. Já as médias empresas registraram recuo de 8,5%. “Isto ocorreu, na avaliação dos economistas da Serasa Experian, porque muitas das empresas de médio porte são exportadoras e ainda estão encontrando um mercado externo pouco dinâmico e sujeitas a uma taxa real de câmbio relativamente valorizada”, concluem os economistas da instituição.

No corte do Indicador Serasa por regiões, o avanço na procura por crédito pelas empresas ocorreu em três delas. No Nordeste, o aumento foi de 1,8%, seguido pelo Sul (1,2%) e Sudeste, com 0,3%. Nas regiões Norte e Centro-oeste, a demanda das empresas por crédito registrou quedas de 0,5% e 2%, respectivamente.

De janeiro a julho deste ano, a região Nordeste encontra-se na liderança do crescimento da demanda por crédito com uma alta de 11,1%. O Centro-Oeste, de acordo com a Serasa Experian, aparece na segunda colocação, mostrando crescimento de 10,5% nos sete primeiros meses de 2010. A Região Norte, com alta de 7,8% no acumulado do mesmo período, aparece em terceiro lugar, seguida pela Região Sudeste, com expansão de 7,2%. Na última posição encontram-se as empresas da região Sul, com crescimento de apenas 5% no mesmo período.